Descobrindo destinos: Museu do Amanhã e Future Literacy na Avenues São Paulo

Descobrindo destinos: Museu do Amanhã e Future Literacy na Avenues São Paulo
Andrew Williams, Director of Teaching and Learning


A Avenues existe para "educar futuros líderes competentes e preparados para entender e resolver problemas de escala global". Assim, é necessário que nossos alunos desenvolvam a competência para o futuro, ou seja, eles precisam ter a capacidade de navegar em um mundo cada vez mais complexo, interconectado e incerto. Com isso, eles ganharão impulso para construir caminhos globais flexíveis na direção de futuros sustentáveis e renováveis.

Nesse sentido, a Avenues mantém o interesse contínuo em parcerias com organizações voltadas para o futuro. Uma dessas oportunidades foi oferecida pelo Museu do Amanhã no Rio de Janeiro e pela Fundação Museum of Tomorrow International (MOTI).

Durante o último semestre de 2018, um pequeno grupo reuniu-se com Ricardo Piquet, presidente do Museu do Amanhã, Alexandre Fernandes, diretor fundador do Museum of Tomorrow e atual diretor do MOTI, e Bruna Baffa, responsável pela estratégia criativa do MOTI e pesquisadora de tendências em inovação e educação. Depois disso, convidamos as respectivas equipes para uma visita à Avenues São Paulo. Ao entender que nossa existência tinha uma razão em comum, começamos a criar possibilidades de parceria.

A partir dessa série de encontros, surgiu um novo conceito educacional, o projeto Future Literacy. As práticas educacionais tradicionais usam o passado para compreender o presente. Ao expandir o uso do futuro na educação, o ensino de Future Literacy cria oportunidades conscientes de inovar o presente e criar futuros melhores. Com isso, nosso objetivo é aperfeiçoar a habilidade dos nossos alunos de produzir e processar visões complexas do futuro e inovar no presente ao:

  • entender realidades emergentes;

  • explorar ecossistemas de mudança;

  • lidar com complexidade e ambiguidade;

  • tomar decisões com base na inteligência coletiva;

  • conectar-se a cenários futuros;

  • planejar-se e preparar-se para o futuro.

 

Por um momento, imagine o mundo que você deseja para 2050, com suas esperanças, sonhos e otimismo. Pense em você, sua família e sua comunidade. Pense em outras pessoas, outras espécies e no meio ambiente. Agora, imagine uma população global perto de 10 bilhões de pessoas, com 70% vivendo em áreas urbanas de países em desenvolvimento, em meio a um ambiente poluído por 12 bilhões de toneladas de lixo plástico e consumindo anualmente a mesma quantidade de recursos naturais produzida por dois planetas. A diferença entre o futuro desejado e o mais provável é a razão pela qual o ensino de Future Literacy é necessário no mundo de hoje.

O conceito de Future Literacy, conforme proposto pela Avenues e pelo MOTI Foundation, será criado de forma colaborativa e dinâmica. Ao integrar os futuros possíveis e desejáveis ao presente e conectá-los a questões globais e temas emergentes deste e do próximo século, esperamos que nossos alunos cultivem uma visão de caminhos flexíveis e desenvolvam habilidades de futuros líderes globais. É um modo de engajá-los em um exercício constante de criação para que eles se vejam como pensadores de vanguarda e possam, assim, adquirir a competência para o futuro.

Para começar nossa jornada, selecionamos equipes de dois níveis escolares (7th e 11th Grades) da Avenues São Paulo para desenvolver o currículo de Future Literacy. O MOTI será a ponte com inovadores e especialistas em diversas áreas desde economia sustentável até ecossistemas renováveis.

Nossos professores e coordenadores desenvolverão um plano para introduzir os conceitos de Future Literacy ao currículo da Avenues. Queremos "cutucar" o programa atual com inspirações da iniciativa de Future Literacy para que possamos criar uma abordagem consistente e colaborativa para toda a escola. Luiz Alberto Oliveira, curador do Museu do Amanhã, será um dos palestrantes do Ruckus Constructus, nosso evento que celebrará a inovação, a criatividade e a tecnologia no domingo, 14 de abril. Também organizaremos eventos especiais para apresentar o conceito de Future Literacy aos pais e debater provocações como: como o mundo mudou? Quais são as novas premissas e aspirações da nova geração? Como a educação precisa se desenvolver e se adaptar em tempos complexos?

Enquanto desenvolvemos novas práticas importantes alinhadas com nossos Avenues World Elements, agradecemos o cuidado, o compromisso e o apoio contínuos dos nossos colegas de Nova Iorque, São Paulo e Avenues Online: Jeff Clark, Fernando Naigeborin, BC Craig, Abe Correa, Eric Rodrigues, Rachel Brill, John Ciallelo, Kristin Damberger, Paola Ricci, Tiffany Walters, Sylvia Guimarães, Ham Clark, Evan Glazer, Andrew Williams, Mike Maccarone, Zoltan Sarda, Rebecca Strauss, Will Lidwell, Molly Ávila, Ryan Sawtell, Aidê Resende, Gedsney Muller, Pedro Ramos e Kevin Crawford.

LEIA MAIS



APRENDIZAGEM

Descobrindo destinos: Museu do Amanhã e Future Literacy na Avenues São Paulo
Andrew Williams, Director of Teaching and Learning

A Avenues existe para "educar futuros líderes competentes e preparados para entender e resolver problemas de escala global". Assim, é necessário que nossos alunos desenvolvam a competência para o futuro, ou seja, eles precisam ter a capacidade de navegar em um mundo cada vez mais complexo, interconectado e incerto. Com isso, eles ganharão impulso para construir caminhos globais flexíveis na direção de futuros sustentáveis e renováveis.

COMMUNITY

Conheça Sylvia Guimarães
Avenues São Paulo Creative Team

Sylvia Guimarães ingressa na Avenues São Paulo como Director of Community Engagement. Sylvia possui profunda experiência em educação popular e comunitária, gestão de organizações cívicas, desenvolvimento de projetos e políticas sociais, especialmente na área de leitura.